CONTACTO    ACTIVIDADES    MÍDIA    EDUCAÇÃO & LEITURA    LIVROS    PLANTAS    LENDAS    GASTRONOMIA


Dulce Rodrigues, escritora

páginas em francês   páginas em português   páginas em inglês

HOME

Introdução

Aipo ou Salsão

Alho

Carvão vegetal

Cereja e Ginja

Chagas ou Capuchinhas

Coentros

Estévia

Oliveira

Noz de Acaju

Salsa

Tomilho

Urtiga

 

Livro de Visitas

LIVRO de VISITAS


 
 

NOZ DE ACAJU, pílula de vitamina natural
(do latim "Anacardium occidentale")
 
 

 
 

Noz de acaju 
Noz de acaju, madura

História: Embora a Índia seja actualmente o maior produtor mundial de nozes de acaju (ou caju), o cajueiro é originário do Nordeste do Brasil. Aqui vai a história de como esta planta chegou à Índia.

Os Portugueses descobriram a noz de acaju no Brasil em 1578 e levaram-na para a Índia e também para a parte oriental da África. A intenção inicial ao plantarem as nogueiras de acaju não era a produção de nozes para alimentação – que só aconteceu mais tarde – mas sim impedir a erosão da costa. As árvores adaptaram-se tão bem à Índia, especialmente na região de Kerala, que acabaram por se “naturalizar”. Numa das paredes exteriores da igreja ortodoxa de Kottayam, no Kerala, pode ver-se um alto relevo representando um pássaro exótico (provavelmente também trazido do Brasil pelos Portugueses) que tem no bico uma noz de acaju.

 

Igreja ortodoxa de Kottayam, Kerala, Índia    Igreja ortodoxa de Kottayam, Kerala, Índia

Origem do nome: A palavra "acaiu" (que deu acaju ou caju em portugês) vem da língua tupi e significa noz que se produz. Na tradição oral, porém, "acayu" ou "aca-iu" refere-se a ano, uma vez que os indígenas do Brasil contavam a idade a cada floração.

Utilizações: As nozes de acaju utilizam-se imenso como aperitivo, especialmente quando tostadas e/ou salgadas. Também são altamente apreciadas cobertas de chocolate, e o seu sabor delicado dá uma ponta de exotismo a sobremesas e até mesmo a outros cozinhados. Mas, são sobretudo as suas virtudes salutares que nos interessam.

Virtudes da noz de acaju: Além de terem um bom sabor, as nozes de acaju são fonte de gorduras monoinsaturadas e de minerais essenciais como ferro, cobre, zinco, magnésio e fósforo. Com o seu elevado teor de cobre, as nozes de acaju são assim um óptimo antioxidante, pois contribuem para eliminar os radicais livres, desenvolvem o tecido ósseo e produzem melanina, o pigmento da pele e do cabelo.

Mas as nozes de acaju trazem ainda mais benefícios ao corpo humano protegendo o coração contra o risco de doenças cardiovasculares e coronárias, pois a noz de acaju não tem colesterol, contrariamente a outros frutos secos. E o seu elevado teor de ácidos monoinsaturados ajuda a equilibrar o nível do bom colesteral (HDL).

Algumas experiências clínicas recentes mostraram ainda que as nozes de acaju são benéficas a quem tem diabetes ou se encontra em risco de os ter.

Há quem diga também que o consumo moderado de nozes de acaju pode ainda mostrar-se efectivo na luta contra a queda dos dentes, contra o acne e até mesmo em casos de tuberculose e lepra, devido a alguns químicos presentes neste fruto que matam as bactérias gram-positivas.

Se é amigo do seu coração, não deixe que haja "mais vozes do que nozes" e delicie-se a comer nozes de acaju pelo menos 4 vezes por semana, mas com moderação. E se consumidas com moderação, as nozes de acaju até podem ter um efeito benéfico no controle do nosso peso! Depois de ter estado na Índia em Fevereiro de 2010, passei a gostar ainda mais destes frutos secos.

Só mais um conselho: assegure-se de que sejam frescas!

© Dulce Rodrigues

 

ENVIE O SEU COMENTÁRIO - Gostaria da sua opinião

 
 
 



Como utilizar as plantas?
Como utilizar as plantas?

Infusões de plantas
Infusões de plantas



Siga Dulce Rodrigues no Google

Siga Dulce Rodrigues no Facebook Siga Dulce Rodrigues no YouTube Siga Dulce Rodrigues no Pinterest Siga no LinkedIn  

Copyright © Dulce Rodrigues, 2000-2016. Reservados todos os direitos.